terça-feira, 14 de agosto de 2012

Os Demônios (The Devils) - 1971


Sinopse: História real ocorrida na cidade francesa de Loudun, em 1604, quando freiras em um monastério começaram a agir como se possuídas por demônios. A intervenção da Inquisição leva a consequências sangrentas.

Direção: Ken Russell.

Elenco: Oliver Reed
Vanessa Redgrave
Gemma Jones
Dudley Sutton







Download: 

Torrent + Legenda PT-BR (AVI, 1,09 Gb):  

Link Alternativo:
http://www.4shared.com/rar/OOGhEtzE/od1971-tor-leg-ptbr.html

Comentário: 
Ao morrer, em 2011, o diretor britânico Ken Russell deixou atrás de si uma filmografia extremamente controversa. Mas talvez o filme mais polêmico de toda sua carreira tenha sido este “Os Demônios”, baseado no livro de não-ficção “Os Demônios de Loudun”, de Aldous Huxley. E não é por menos: o filme foi vetado pela Comissão Inglesa de Censura, logo no mesmo ano em que “Laranja Mecânica”, de Stanley Kubrick, e “Sob o Domínio do Medo”, de Sam Peckinpah, passaram, sem maiores problemas, pela mesma comissão. A justificativa da junta foi de que enquanto os filmes de Kubrick e Peckinpah usassem a violência como recurso narrativo e artístico, Russel a usou inconsequentemente, apenas pelo choque (como se isso fosse desculpa para proibir qualquer coisa que seja, que “A Serbian Film” o diga, cof cof). Mesmo esse tipo de comissão servindo exclusivamente a propósitos malignos, eles não deixaram de ter razão no seu argumento: a violência extrema do filme é ao mesmo tempo seu destaque e sua ruína.
Ao contrário do livro de Huxley, Russell preferiu focar a história em seus aspectos mundanos, e não psicológicos e históricos. Então, ao invés de vermos a história das possessões demoníacas na cidade francesa de Loudun em idos da Idade Média como um objeto de estudo dos efeitos da repressão para a psique, temos uma análise de como a Igreja e o Estado se valem da religião para dominar os indivíduos. Na trama, o plano sangrento de unificação da França pelo Cardeal Richilieu encontra na figura do padre Urbain Grandier um obstáculo. Carismático e atraente, ele serve como espécie de líder popular informal de Loudun, a última cidade-estado independente da França. Para as freiras do mosteiro local, além de líder, ele é também um sex symbol. A atração e subsequente repressão do desejo sexual pelo padre explodem em delírios de rituais satânicos, possessões demoníacas e automutilações. Richilieu, ciente desses eventos, começa uma campanha para provar que Grandier está em contato com o cramunhão, para assim tira-lo de cena e tomar conta da cidade.
Apesar desse enredo, a maior parte do filme foca justamente no comportamento delirante e insano das freiras “possuídas”. E é exatamente aqui o problema: a brutalidade dessas cenas (com direito a fins sexuais para símbolos religiosos, anos antes do “O Exorcista”) resultou na proibição do filme mundo afora (incluindo, claro, o Brasil), criando sua fama de filme maldito. E é justamente isso que leva os espectadores modernos a blogs ridículos como esse em busca da obra. Por outro lado, se o filme tivesse estreado sem alarde em 1971, teria passado despercebido e hoje seria só mais uma adaptação estranha de um livro do Huxley.

Extra: A quem interessar, segue aqui um link para o e-book “Os Demônios de Loudun”, de Aldous Huxley:
http://livrosdamara.pbworks.com/f/os_demonios_de_loudun.pdf

12 comentários:

  1. Há um filme polonês que trata provavelmente do mesmo episódio. Chama-se Maria Joana dos Anjos. Consegui no blog Cynicozilla. Adoro aqueles filmes poloneses esquisitos, como os do Wojciech Has e do Zulawski.

    ResponderExcluir
  2. Esse é um dos episódios mais adaptados da história mundial, teve até uma novela sobre isso na Alemanha.

    ResponderExcluir
  3. Devido às cenas sadomasoquistas das freiras, este filme teve cenas cortadas pela Warner. Esta versão é completa ou cortada?

    ResponderExcluir
  4. Essa é a versão completa, sem cortes. Mas você vai querer que fosse a cortada, o "gore" todo é insuportavelmente chato.

    ResponderExcluir
  5. Porque são duas horas só de freiras se auto-mutilando. Duas horas só disso. Aí não dá né.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. delícia, isso sim. acho que tu é gay...

      Excluir
    2. E tu doente, rapaz.

      Excluir
  6. É nomal toda essa demora pra baixar o arquivo ? Em mais de 20 horas baixou somente 24% até agora ... velocidade 0 KB/s

    ResponderExcluir
  7. Bom texto! Você é o autor? Eu estudo O Exorcista, citarei este filme em uma nota de rodapé apenas, e colocarei uma frase sua. É de sua autoria?

    Obviamente eu o citarei como autor, e darei o endereço do site.

    ResponderExcluir
  8. Não é Idade Média, mas sim Idade Moderna. Lembrando: 1604 é século XVII.

    ResponderExcluir
  9. É, antes de tudo, um filme político. Afora umas cenas de tortura meio arrastadas no meio, a cena final de Oliver Reed não deixa dúvidas sobre a força de seu talento. Eu gostei. Um bom produto do cinema inglês da década de 1970.

    ResponderExcluir

comente naquela caixinha do lado, é mais legal.