quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Calafrios (Shivers) - 1975

AKA: Orgy of the Blood Parasites
AKA: The Parasite Murders
AKA: They Came From Within
AKA: Frissons 

 

Sinopse: Moradores de um condomínio de luxo isolado são atacados por um verme que os transforma em zumbis sedentos por sexo e violência.

Direção: David Cronenberg

Elenco: Paul Hampton
Joe Silver
Lynn Lowry
Allan Kolman



Download:

Arquivo com o Torrent + Legendas em Português - BR (AVI, 810 Mb):
https://rapidshare.com/files/2207161760/ca1975-Torr-LegPTBR.rar

Link alternativo:
http://www.4shared.com/rar/u6Kewhjn/ca1975-Torr-LegPTBR.htm


Comentário:

        Em seu primeiro filme “oficial”, David Cronenberg, o santo padroeiro deste blog, já mostrava ao mundo todo o seu poder como realizador. “Calafrios” pode a princípio, devido ao seu enredo, parecer mais um sexploitation de quinta categoria. Mas são nos detalhes que se esconde a força dessa grande estréia: em primeiro lugar, o que se sobressai, em uma era prestes a mudar radicalmente pelo advento do HIV, é o fato de a doença incurável que transforma os pacatos suburbanos canadenses em zumbis ser transmitida pelo ato sexual.
       Uma análise mais atenta revela outro detalhe impressionante: apesar das exigências de um filme de terror convencional, e de algumas mortes ocasionais, a epidemia e os zumbis não são retratados de forma aterrorizante. Ao contrário, em diversos momentos a transformação em zumbis é mostrada como uma espécie de libertação. Mais do que isso, os mais fervorosos combatentes da infestação de zumbis, os “heróis” do filme, são, em sua essência, conservadores. Essa visão fica clara na cena final, e atenção para revelações de enredo daqui para frente, na tradição da epidemia que sai do micro para infestar o macro. Os moradores, após uma orgia de proporções romanas, saem do condomínio em seus carros para levar sua condição para o resto do mundo. Essa cena, longe de ser assustadora ou depressiva, passa a sensação de um final feliz: todos os moradores, muito saudáveis para o padrão de um morto-vivo, estão lúcidos e alegres. Em uma cultura marcado pelos zumbis capitalistas de Romero, ou pela completa e irresponsável banalização deles no “The Walking Dead”, “Calafrios” é um bem-vindo contraponto.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Alucinações do Passado (Jacob's Ladder) - 1990

Sinopse: Veterano da Guerra do Vietnã passa a sofrer alucinações pertubadoras relacionadas a um combate em que foi gravemente ferido. Ele descobre que outros combatentes envolvidos no episódio estão tendo os mesmos sintomas. Eles então decidem descobrir a verdade sobre o que realmente aconteceu aquele dia.

Direção:
Adrian Lyne

Elenco:
Tim Robbins
Elizabeth Peña
Danny Aiello
Jason Alexander
Eriq La Salle


 


Download:

Torrent (AVI, 700 Mb):
Link Magnético

Links alternativos:
Pirate Bay
Isohunt

Legendas em Português - BR:
http://www.opensubtitles.org/pt/subtitles/3667753/jacob-s-ladder-pb


Comentário:

         
É difícil falar sobre a qualidade de “Alucinações do Passado” sem entregar seu “final surpresa”, ainda que o filme nunca tente esconder a verdade por trás da paranóia do personagem de Tim Robbins (em atuação vigorosa, diga-se). Tanto não se esforça que essa verdade é dita em diversos momentos, da forma mais natural possível e, por isso mesmo, enganadora. E apesar da relevância espiritual (opa) dessa revelação, o universo quase lynchiniano cuidadosamente construído pelo diretor Adrian Lyne ainda abre espaço para uma interpretação completamente diferente, e igualmente relevante, em termos políticos. Apesar dos aspectos dramáticos e de estudo de personagem do roteiro, “Alucinações do Passado” pode ser visto, com igual impacto, como um filme-denúncia impressionante a respeito de experimentos realizados pelo exército norte-americano durante a Guerra do Vietnã (e, por tabela, em todas as guerras) tanto em prisioneiros vietcongues, quanto em seus próprios soldados. Não importa qual caminho o espectador queira seguir, o do drama existencial ou do filme de conspiração, “Alucinações do Passado” é um vencedor nos dois.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Viagens Alucinantes (Altered States) - 1980

Sinopse: Cientista sintetiza droga utilizada em rituais por tribos mexicanas. Para fins experimentais, ele consome a droga e se tranca em um tanque de imersão, que o deixa completamente isolado do mundo exterior. O objetivo é atingir os mais profundos níveis do subconsciente, para assim descobrir o "homem primordial", a origem da mente humana. O experimento, porém, foge do controle.

Direção: Ken Russell

Elenco: William Hurt
Bob Balaban
Blair Brown
Drew Barrymore




Download:

Torrent (MP4, 1,4 Gb):
Link Magnético

Links alternativos:
Pirate Bay
Isohunt

Legendas em Português - PT:
http://www.opensubtitles.org/pt/subtitles/3660528/altered-states-pt

OU

Arquivo com o Torrent + Legenda PT-BR (AVI, 900 Mb):
https://rapidshare.com/files/2024190491/va1980-Torr-LegPTBT.rar

Link alternativo:
http://www.4shared.com/rar/IQKVEw7c/va1980-Torr-LegPTBT.html

Comentário:

Foram poucos os filmes em que Ken Russell não teve controle total sobre sua obra. “Viagens Alucinantes” é um deles e, por isso mesmo, talvez seja sua obra-prima. Russell notoriamente é conhecido por seus longas surtados e extremos, e são essas características que fazem sua filmografia beirar o insuportável. Por ser um filme de estúdio que contratou Russell às pressas depois da demissão do diretor original, o medíocre Arthur Penn (de “Bonnie e Clyde”), “Viagens Alucinantes” reduz todo o delírio despropositado de Russell ao ponto de ele ser usado apenas quando necessário, ou seja, como uma ferramenta narrativa e não como o foco da narrativa, o que ocorreu em seu “Os Demônios”, por exemplo.
         Além da direção surpreendentemente firme e econômica, o enredo é outro ponto de destaque. Espécie de herança cultural dos experimentos com psicotrópicos em ambientes controlados de Timothy Leary e, principalmente, Aldous Huxley e seu artigo “As Portas da Percepção”, o roteiro é uma instigante reflexão sobre os limites do poder do subconsciente e da herança espiritual da humanidade. Até mesmo o final, quando a ficção-científica perde espaço para o terror puro e simples, torna-se uma decisão acertada. “Viagens Alucinantes” é o melhor filme de Russell porque é sua única obra que tem algo a dizer.

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

A Sentinela dos Malditos (The Sentinel) - 1977

AKA: A Sentinela
 Sinopse: Em Nova York Alison Parker, uma modelo, namora Michael Lerman, um advogado. Apesar dele querer casar, ela decide que precisa ter no momento um espaço só seu e assim luga um apartamento, onde no último andar mora um padre cego, que tem uma vida totalmete reclusa. No novo lar tem dificuldades para dormir, por causa de flashbacks da sua tentativa de suicídio. No entanto, o mais alarmante é o surgimento de alguns ?vizinhos? que, gradativamente, se descobre que são todos assassinos que já morreram.

Direção: Michael Winner

Elenco: Ava Gardner , Chris Sarandon , Cristina Raines

 Download

TORRENT

>> http://kat.ph/the-sentinel-1977-divx-nvadr-t5329909.html

Link Magnético>> BAIXAR

Legenda>> http://www.opensubtitles.org/pt/subtitles/4552948/the-sentinel-pb


Comentário>> Sentinela dos Malditos é daqueles que nos faz repensar quais aspectos técnicos são realmente essenciais para um filme ser minimamente decente. O amadorismo tanto da edição quanto da fotografia são dignos de uma produção televisiva ruim; mas para um suspense o que basta é ter um roteiro envolvente e assim manter o interesse do espectador até o final, que é quando normalmente reserva o que tem de melhor. E nisso o filme sem dúvidas corresponde; mantém a história sob o controle o tempo todo, joga a música certa nos momentos certos, e termina com um clímax legal - e além de tudo dá um exemplo de bom senso e ensina uma boa forma de economizar dinheiro de produção ao utilizar pessoas deformadas reais, ao invés de maquiagem, para representar as criaturas do inferno; muita sensatez e bom gosto do sr. Winner, um verdadeiro vencedor.
Outro detalhe que vale atenção é o elenco, só para citar alguns nomes, temos Eli Wallach, Jeff Goldblum, Christopher Walken, Ava Gardner, Martin Balsam, entre outros; e todos muito bem aproveitados (se juntar todas as falas deles, não deve dar nem uma página do roteiro; a participação mais relevante de Christopher Walken, por exemplo, é quando ele atende um telefone). Enquanto isso, um Chris Sarandon pra lá de canastra com  bigodinho sensual co-protagoniza com uma atuação vergonhosa, mas felizmente  a menina principal dentucinha é bem gatinha e manda bem.
Enfim, em meio a alguns defeitos, o saldo geral é bem positivo, até por que filmes com tramas diabólicas dificilmente deram errado na década de 70.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

O Inquilino (The Lodger - A Story of The London Fog) - 1927

AKA: O Pensionista

 

Sinopse: Em Londres, um serial killer conhecido como “O Vingador” passa a atacar mulheres jovens e loiras. Enquanto isso, Jonathan Drew se hospeda na pensão do casal Bounting. Jonathan costuma sair em noites de névoa e também guarda a foto de uma moça loira em seu quarto, o que leva os Bounting, e principalmente, o detetive Joe Chandler, noivo de Daisy, filha dos Bouting, a suspeitar de que ele possa ser o serial killer.

Direção: Alfred Hitchcock





Elenco: Ivor Novello
Marie Ault
Arthur Chesney
Malcolm Keen



Download:

Torrent + Legendas em Português - BR (AVI, 699 MB):
https://rapidshare.com/files/4070093019/oi1927-Torr-LegPTBR.rar

Link alternativo: 
http://www.4shared.com/rar/VnALhlpr/oi1927-Torr-LegPTBR.html


Comentário:



O Inquilino” é o primeiro thriller de Alfred Hitchcock, e também sua primeira obra-prima. A narrativa visual é o cinema mudo em seu auge: uma época em que os filmes, apesar de incompletos pela ausência do áudio, eram, paradoxalmente, mais cinematográficos do que jamais voltariam a ser. Afinal, a função do cinema enquanto entretenimento é contar histórias através de imagens, e não de falas que poderiam estar de forma idêntica em um livro ou peça de teatro. Aliás, esse era o primeiro mandamento de Hitchcock: falas só são utilizadas quando não há nenhuma outra possibilidade de inserir a informação de forma visual. Por mais que se possa acusar o cinema mudo de abusar de inserções textuais da mesma forma que os filmes da lamentável modernidade em que vivemos abusa de verborragia, Hitchcock aqui economiza até nisso, usando esse recurso o mínimo possível.
No caso do “O Inquilino”, a economia no texto deve ter sido um desafio e tanto: o roteiro entrelaça de forma complexa diversas linhas narrativas e temporais simultaneamente. Não por acaso, o filme foi um fracasso de público na época, e só não o foi de crítica porque o cinema era uma arte tão marginalizada que nem crítica especializada possuía então. Seja como for, por sua inventividade visual, por seu roteiro instigante e por sua direção vigorosa, “O Inquilino” é uma das obras máximas de uma era do cinema que engoliu seus heróis, gente como Chaplin, Keaton e Murnau, que eram muito mais do que cineastas, eram artesões.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Os Meninos (¿Quién puede matar a un niño?) - 1976

AKA: Quem Pode Matar uma Criança? 
AKA: Island of the Damned
AKA: Who Can Kill a Child?
AKA: Os Revoltados do Ano 2000 (Portugal, parabéns, Portugal)
AKA: The Killer's Playground

Sinopse: Um casal de turistas ingleses chega a uma ilha onde todas as crianças ficaram loucas e estão assassinando os adultos...

Direção: Narciso Ibáñez Serrador

Elenco: Marisa Porcel
María Luisa Arias
Miguel Narros
Antonio Iranzo



 Download:

Opção 1>> http://isohunt.com/torrent_details/142978505/?tab=summary#.UGoCM1F3Fjc

Opção 2>> http://isohunt.com/torrent_details/93001961/Quien+Puede+Matar+Un?tab=summary#.UGoGklF3Fjc

Link Magnético>> BAIXAR


Legenda>> http://www.opensubtitles.org

Comentário: Os Meninos (!) tem como introdução um simples, porém conciso e estarrecedor documentário de dez minutos, mostrando crianças de diferentes épocas e lugares, sendo vítimas da crueldade humana, condenadas por uma culpa que não lhes pertence, tendo sua inocência roubada pelo "sistema dos adultos". Como culpá-las então, se decidissem usar da mesma crueldade para defender-se contra quem parece mais disposto a prejudicá-las do que a  defendê-las? 
Mas, se na visão do diretor a violência banalizava-se a ponto de se tornar brincadeira de criança, o mesmo não se pode dizer de seu filme, que a evita o quanto pode, e mesmo que os planos não pareçam interessados em mostrá-la em muitos dos momentos, ela está lá, na angústia do silêncio, no sorriso malicioso das crianças e no tom incisivo de desconforto que permanece do primeiro ao último minuto do filme - na verdade desde o primeiro segundo, porque já começa com o cantarolar sinistro de uma criança.
Felizmente ninguém lembra de Os Meninos (aff), num mundo onde existe Colheita Maldita, então esperemos que assim continue, porque um remake estragaria tudo e nunca faria jus a essa sutil e perturbadora obra de Narciso Ibáñez Serrador.
Aliás, não sei em que ano exatamente Stephen King escreveu As Crianças do Milharal, mas se foi depois de ter assistido a Os Meninos (aiai), o sr. é um baita dum plagiador, sr. King, devia se envergonhar.